Rastreabilidade de Produtos Vegetais

Monitorar e realizar o controle de eventuais resíduos de agrotóxicos nos produtos vegetais.

Descrição

Novo sistema de rastreabilidade para auxiliar o monitoramento e o controle de resíduos agrotóxicos na cadeia produtiva de vegetais frescos destinados à alimentação humana, conforme Instrução Normativa Conjunta nº 2 do MAPA e da Anvisa.

 


 

A norma estabelece a obrigatoriedade de que todas as frutas e hortaliças deverão fornecer informações padronizadas capazes de identificar o produtor ou responsável no próprio produto ou nos envoltórios, caixas, sacarias e outras embalagens. O produtor deve informar o endereço completo, nome, variedade ou cultivar, quantidade, lote, data de produção, fornecedor e identificação (CPF, CNPJ ou Inscrição Estadual).

 

A identificação pode ser realizada por meio de etiquetas impressas com caracteres alfanuméricos, código de barras, QR Code, ou qualquer outro sistema que permita identificar os produtos vegetais frescos de forma única e inequívoca. O sistema foi instituído em 8 de fevereiro de 2018, a partir da publicação no Diário Oficial da União da Instrução Normativa Conjunta nº 2 do MAPA e da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde). A norma será aplicada em todo o território nacional. Os procedimentos serão aplicados em diferentes grupos de alimentos nos prazos de 180, 360 e 720 dias, a partir da data da publicação da Instrução Normativa.

 

Na primeira fase de implementação, que será iniciada em Agosto próximo, a rastreabilidade deverá estar aplicada ao grupo de: citros, maçã, uva, batata, alface, repolho, tomate e pepino.  

 

As fases de implementação

A implementação dessa normativa vai acontecer em fases, enquanto para alguns vegetais o prazo para regulamentação é de 6 meses, para outros esse tempo pode ser de até dois anos.

A rastreabilidade de alimentos garante segurança para consumidores e produtores. Por meio dela será possível identificar como os alimentos foram produzidos, processados e transportados, propõe melhorar o acesso a essas informações.

 

Como funciona? 
Veja como funciona a logística da rastreabilidade dos produtos obrigatórios:

 

Produtor - O produto necessita estar identificado e informar o que está sendo rastreado;

 

Distribuidor - A próxima etapa é identificar para onde este produto será embarcado/enviado;

 

Varejo - Neste momento o produto será redistribuído ao destino final para revenda ao consumidor; 

 

Destino final - Este é o objetivo final desta cadeia, para que tudo corra bem até o consumidor final.

 

Em parceria com empresa voltada para rastreabilidade e recall de produtos agricolas, apresentamos as melhores soluções em rastreabilidade sobre produtos vegetais, de acordo com a nova lei, atendendo em todo o Brasil desde pequenos até grandes produtores.

 

Conheça nosso software. Entre em contato conosco, clicando no botão COMPRAR AGORA e um especialista irá lhe contatar, para sanar suas dúvidas e auxiliá-lo na contratação das soluções que melhor atendem a sua necessidade.

Adquira já